quinta-feira, 8 de maio de 2008

Um Pequeno Grito

É hoje mais um dia, no caso, mais uma noite! Nem sei se são horas de gritar, mas também alguém me ouviria?

Está difícil,
tudo é nada e nada é tudo.
O que é importante, e o que não será?
Serei grande, ou apenas outro,
serei terra, ou serei céu?
Serão os dois o mundo,
ou serei apenas eu?

Será poesia, ou terror,
ou apenas um tremor?
Todos doem, e todos passam.

Mas algo deve responder.
Me deve responder,
sob o risco de me deixar escolher.
Sempre mal, sempre torto.

Mas também, sempre em busca,
sempre à luta.
Sempre esperto,
sempre triste,
sem saber sequer se existe,
se há vida sempre boa,
ou se é sempre filha da puta.

3 comentários:

Gigi disse...

Aguardamos e tivemos uma bela surpresa.

Surpreendes-me todos os dias, já há muito que não escrevias.

Kiss

Joaquim Lopes disse...

Que forte J,

Muita energia exalada através deste grito...
Gostei do que li...

Abraço e beijo à Leoa

Joaquim Lopes disse...

E então os tais gritos???Ok...agora é mais uns ron-rons...
Eheheh...